Vida orientada por consumo pode gerar frustração

Por Jussara Goyano* | Foto: Shutterstock | Adaptação web Caroline Svitras

Pesquisa conduzida na Universidade de Buffalo, Estados Unidos, mostra que uma vida baseada em consumo e acumulação financeira pode ser altamente frustrante, caso tal orientação tenha a ver com aumentar a própria autoestima.

 

Segundo conclusões dos pesquisadores envolvidos, isso pode ocorrer porque uma vida baseada em sucesso financeiro pressupõe comparações sociais constantes, além de um lócus de controle externo de bem-estar que, caso seja desestabilizado, gera sensação de impotência e falta de controle e autonomia sobre a própria vida.

 

A pesquisa envolveu 349 estudantes universitários e um grupo representativo nacional de 389 participantes. Voluntários responderam a uma escala de Contingência Financeira de Autovalor (CSW), que mostra o grau em que as pessoas baseiam sua auto estima no sucesso financeiro, além de participar de uma série de experiências em que o senso de segurança financeira das pessoas foi afetado.

 

Quando solicitados a escrever sobre um estressor financeiro, os voluntários experimentaram uma queda em seus sentimentos de autonomia, segundo os pesquisadores envolvidos. Eles também não procuravam soluções para as questões financeiras, quadro diferente do encontrado quando os participantes eram convidados a escrever sobre outros estressores ou entre indivíduos cuja autoestima não é atrelada ao sucesso financeiro.

 

Para saber mais:

Park, L. E.; Ward, D. E.; Naragon-Gainey, K. (2017). It’s all about the money (for some): consequences of financially contingent self-worth. Personality and Social Psychology Bulletin, n. 88, p., 589-604.

 

Para conferir mais estudos garanta sua revista Psique Ciência & Vida Ed. 135 aqui!

*Jussara Goyano é jornalista e coach certificada pelo Instituto de Psicologia Positiva (IPPC). Atua com foco em performance e bem-estar. Estudou Medicina Comportamental na Unifesp. E-mail: atendimento@jussaragoyano.com