Felicidade no trabalho não depende de chefes

Por ScienceDaily.com | Foto: Shutterstock | Adaptação web Caroline Svitras

Enquanto as mais diversas vertentes organizacionais discutem um modelo de liderança, um estudo realizado por pesquisadores das universidades de Greenwich e Sussex mostra que proporcionar uma percepção de propósito no trabalho entre os seus liderados não é uma habilidade dos gestores. Muito pelo contrário, eles destroem esse significado. A pesquisa ouviu 135 pessoas trabalhando em 10 ocupações muito diferentes, desde sacerdotes até coletores de lixo, para perguntar sobre incidentes ou momentos em que os trabalhadores pensaram que o seu trabalho era algo significativo e, por outro lado, momentos em que eles se perguntaram: “Por que estou trabalhando com isso?”. A despeito das lideranças, a autora do estudo, Katie Bailey, diz que para as organizações que buscam nutrir esse significado, operar “com responsabilidade ética e moral é uma boa alternativa, uma vez que são qualidades que fazem a ponte entre o trabalho e a vida pessoal”.

 

Por outro lado…

Um novo estudo, desta vez da Universidade de Split, Croácia, relacionou a satisfação no trabalho ao sucesso da empresa. A pesquisa comparou desempenho empresarial de 40 grandes e médias companhias com a avaliação dos funcionários sobre 10 diferentes aspectos de seu trabalho, totalizando 6 mil avaliações.

Revista Psique Ciência & Vida Ed. 127