Como enfrentar a frustração?

É normal ficarmos desapontados com as nossas falhas quando as metas ou sonhos não são alcançados. O que diferencia uma pessoa de outra é a forma que lidamos com esse sentimento

Por Eduardo Shinyashiki* | Foto: 123 Ref | Adaptação web Caroline Svitras

Quantas vezes nós tentamos atingir um objetivo e não conseguimos, falhamos em busca de um resultado importante ou simplesmente não temos sucesso ao tentar mudar uma situação, mesmo nos esforçando muito para isso? Diante de tais circunstâncias, geralmente, o ser humano tende a reagir com uma emoção bem específica: a frustração.

 

 

A melhor forma de lidar com a frustração e com todos os outros sentimentos “limitantes” é transformando os pontos fracos em fortes e investindo na carreira e no desenvolvimento pessoal como um todo. A maioria dos profissionais apenas busca algum aperfeiçoamento em um momento de crise, de desespero. Porém, o momento ideal para fazer esse investimento é quando as coisas estão bem, pois o aprendizado se torna mais fácil, os pensamentos ficam livres de problemas e o desespero não marca presença. A evolução em tempos de bonança, com certeza, possibilita que o profissional saia na frente quando o momento da crise chegar, afinal já está com seus pontos – que antes eram fracos – bem mais fortes do que os concorrentes.

 

Outro tópico importante para diminuir ou evitar a frustração é o feedback. Esse recurso não deve ser encarado apenas como uma ferramenta para usar eventualmente, e sim como um princípio e filosofia de vida em todas as áreas. É fundamental que as pessoas peçam, recebam e ofereçam retornos sobre suas performances e atuações em todos os campos da vida, para que se aperfeiçoem e, consequentemente, melhorem seus resultados e relações.

 

O olhar de alguém de fora, mas que esteja próximo pode trazer revelações e insights poderosos a qualquer um, permitindo que cenários e resultados sejam alterados. Normalmente, as pessoas estão tão envolvidas naquilo que estão fazendo que não conseguem mais ampliar a visão de seus negócios, ideias e atitudes. Por isso, o feedback se torna tão importante para evoluírem.

 

 

É necessário sermos mais donos do nosso destino e comprometidos com os resultados. E, por mais que isso possa soar como loucura, devemos sempre agradecer quando surgem as adversidades, os problemas, os cenários nebulosos. Afinal, é justamente nesses momentos que os nossos talentos ficarão mais ressaltados e que nosso diferencial pode brilhar.

 

Revista Psique Ciência & Vida Ed. 134

Adaptado do texto “Como enfrentar a frustração?”

*Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, especialista em Desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes. É presidente do Instituto Eduardo Shinyashiki e também escritor e autor de importantes livros como Transforme seus Sonhos em Vida (Editora Gente), sua publicação mais recente. www.edushin.com.br